Curiosidades

O significado das Amêndoas no Casamento

  

 

 
 

Há um significado no uso das amêndoas confeitadas como símbolo do matrimônio: seu sabor agridoce (amargo + doce). A vida, representada pela amêndoa amarga, é coberta por um revestimento doce que compensa a amargura com a doçura do casamento. Elas só devem ser distribuídas em números ímpares em um casamento, porque isto representa o vínculo indivisível do casal e a vida compartilhada.

Segundo a tradição, as amêndoas simbolizam os votos que os convidados desejam aos noivos. Frequentemente são entregues a cada convidado cinco amêndoas confeitadas. Cada amêndoa representa algo que todos desejam para o casal: Felicidade, Fertilidade, Longevidade, Riqueza e Saúde.

 

 

 


 

 A Lenda do Bem – Casado

 

O Bem Casado representa duas partes que se unem e são seladas pela cumplicidade e respeito mútuo. Para se ter muita sorte nessa união, deverá ser distribuído um bem-casado a cada convidado. Diz a lenda que todo aquele que saborear um bem-casado estará abençoado com a mesma sorte e felicidade dos noivos.
Lenda ou não, o bem-casado é oferecido nos mais diversos momentos:
Casamentos: Para dar sorte ao casal e aos convidados;
Nascimento: Dar boas-vindas ao bebê desejando-lhe vida feliz e saúde;
Empresas: Prosperidade e Fortuna;
Debutante: Para compartilhar a juventude eterna;
Bodas: Para compartilhar a união feliz e o amor eterno!
 

 

15 ANOS – O Baile de Debutante

 
 

 

 


 
 

 O baile de debutante é uma tradição que surgiu na corte europeia, em meados do século XVIII, que tinha como objetivo introduzir a menina que acabava de completar 15 anos na sociedade. O aniversário de 15 anos é um marco na vida das meninas que costumam comemorar essa data tão especial e significativa. É quando a menina passa a ter suas próprias opiniões e a ser responsável pelos seus atos.
A palavra debutante vem do francês “débutante”, que significa “iniciante”. Na teoria, quando a menina completa 15 anos, ela inicia seu début, ou seja, estréia na vida social e isso geralmente ocorre com uma festa que é preparada com muito carinho por familiares e amigos.

 
 

O Buquê de Noiva

 

 


 

 

do.
Na Idade Média, as noivas caminhavam e recebiam flores, ervas e especiarias, que representavam felicidade e sorte, formando um buquê quando chegavam ao fim do trajeto.
Os buquês sofisticados como conhecemos atualmente, surgiram na Europa do século  XVI, onde eram utilizadas flores exóticas e perfumadas.
Você sabia? Na antiga Polônia, era comum colocar açúcar no buquê, pois acreditava-se que esse ritual manteria a personalidade da noiva bem doce durante o casamento.
Confira a seguir, alguns modelos de buquês diferentes e curiosos:
-  Buquê cascata: 
Ideal para casamentos à noite, o buquê cascata é uma das opções preferidas de noivasUm detalhe que não pode faltar no dia do casamento é o buquê: um tradicional arranjo de flores naturais ou artificiais, que será carregado pela noiva durante o a cerimônia. Muitas pessoas não sabem, mas o famoso buquê de noiva possui uma história curiosa e bastante interessante.
De acordo com alguns historiadores, a tradição de carregar um buquê surgiu na Grécia Antiga, onde as noivas carregavam ramos de ervas e alho para afastar inveja e mau-olha modernas. Este modelo é extremamente sofisticado e também é conhecido como “cacho de uva”, por possuir flores em queda. Pode ser confeccionado com vários tipos de flores e deve ser montado por um profissional especializado para que dure durante todo o evento.
- Buquê redondo
Uma opção clássica, para as noivas tradicionais é o buquê redondo, que pode ser feito com flores do campo, rosas ou orquídeas. Este modelo é ideal para casamentos durante o dia, sendo mais adequado para noivas de baixa estatura. Um buquê redondo de gérberas representa vida e energia, enquanto um buquê de margaridas representa pureza e fidelidade.
- Buquê na caixa
Uma opção moderna para a noiva ofertar o buquê às mulheres solteiras é colocá-lo dentro de uma caixa com cadeado. A noiva irá esconder várias chaves no local onde haverá a recepção e apenas uma delas irá abrir o cadeado. As moças solteiras terão de procurar as chaves como uma “caça ao tesouro”, deixando a festa bem divertida e descontraída. A caixa para o buquê pode ser de madeira ou acrílico, e algumas noivas optam por decorá-la com aplicações ou flores.
- Buquê de Santo Antônio
Uma opção nova e divertida, utilizada por muitas noivas que pediram ajuda ao Santo Casamenteiro é o buquê de Santo Antônio. Este modelo é feito com vários bonequinhos do santo, em pelúcia, agrupados como em um buquê de flores. É possível encontrá-lo em ateliês de artesanato especializados ou em lojas para noivas.
- Buquê “Sapo”
Outra opção moderna é o buquê de sapinhos, que de acordo com a lenda, trará um príncipe à moça solteira que conseguir pegá-lo. Este modelo deve ser confeccionado por uma pessoas especializada ou pode ser encontrado em lojas que trabalham com buquês de noiva.
 

 

 

Os Broches

 

 

 


 

 

 

Os broches se desenvolveram a partir  de uma antiga fivela greco-romana que se chamava  “fíbula”. A fibula era uma fivela, que tinha como objetivo prender e adornar as vestimentas. Inicialmente usada pelos antigos gregos , depois  foi adotada pelos romanos. Elas se apresentavam de várias formas , mas todas tinham o mesmo  mecanismo de fecho, o alfinete de segurança.
 A fibulae ( broche ) foi muito usado em quase  todas as regiões, durante a antiguidade. Foram encontrados exemplares do século VII AC, decorado com uma mão, servindo de lfinete de segurança e dois leões. Os tamanhos dos broches variam, assim como a decoração.
As conquistas romanas espalharam o uso da “fibula” por todo o norte da Europa  Sendo assim, o uso do broche se popagou muito e foram ficando cada vez mais elaborados e rebuscados.
Broches compridos, como a Fíbula, foram usados em toda a Europa, diferindo apenas no design e ornamentação.
 O broche usado pelos francos era a roseta, um broche circular ornamentado com filigramas. Os escandinavos desenvolveram broches em forma de trevos e circular ornamentados com desenhos simétricos. Depois apareceram broches em forma de cruzes . Um broche celta, belo e muito antigo, foi encontrado na Irlanda. Este broche é feito de bronze branco e é vazado.
Ao longo da história, apareceram novas técnicas para a sua fabricação que os tornaram jóias. Toda a realeza competia para com o requinte de suas jóias e o broche foi um dos itens dessa competição.
Passaram a ser ornados com pedras preciosas e adiquiriram formas variadas . Broches em forma de animais , em forma de flores , em forma aves, e outros.  Os chapéus, vestidos femininos, cabelos e vestimenta masculina passaram a ser largamente enfeitados com broches.
Os broches são usados até hoje e podem ser usados no dia a dia , ou como um adorno mais sofisticado.
Hoje os broches possuem  vários formatos e são fabricados em diversos materiais. Broches de pano, broches de metal, broches de acrílico, broches de resina sintética, broches de fibras naturais. A criatividade dos estilistas não tem fim. Os broches podem ser aplicados em sapatos , bolsas , vestuário e em tudo que sua imaginação desejar.